O que torna uma mulher elegante?

Artigo da Websérie “Coração de Mulher” do Play TV Canção Nova.

Ter bom gosto não é suficiente para vestir alguém de elegância.

Quem não gostaria de ter essa marca [elegância] na memória das pessoas quando estas pensassem em seu nome? Há quem se esgote ou mesmo se endivide para aparentar o que realmente está longe de ser. Sim, existem pessoas que vivem da imagem, pois o interior delas grita por vida, e vida verdadeira.

O que torna uma mulher elegante - 940x500

Certa vez, ouvi, na TV, uma pergunta a uma conhecida consultora de moda do país: “Como reconhecer a diferença entre uma bolsa “de marca” e uma falsificada sendo usada por uma mulher?”. Ela, rapidamente, respondeu: “É só ver quem é a mulher que está usando a bolsa”. A resposta me fez rir, pois era óbvia demais, mas eu nunca tinha pensado assim. Interessante a resposta e certamente pode gerar outros questionamentos em nós mulheres, que prestamos atenção em cada centímetro quadrado umas nas outras.

Um mulher elegante não é somente aquela que se veste bem ou se porta refinadamente, que ostenta marcas de roupas caras, usa jóias exuberantes ou exóticas, bolsas caríssimas ou mesmo “sapatos de sola vermelha”. Uma mulher realmente elegante o é até de pijama preto com bolinhas amarelas! Pois elegância não se trata de uma expressão de percepção externa, exibição de conta bancária ou coisas do gênero, mas é uma questão de calibre da alma. Ter bom gosto não é suficiente para vestir alguém de elegância. Há algo mais…

A elegância revela-se na hora da tensão, da crise, do problema grave ou no momento exato em que tudo ao seu redor tenta distraí-la e fazer dela uma simples expressão patética ou histérica no meio de tantas que já se tornaram irritantemente triviais hoje em dia. (Quantos não dizem pelas costas: “Ah, você não viu nada! Ela é bem pior!”) Nas horas mais cruciais da vida é que podemos conhecer o coração de uma mulher, sua elegância e do que ela é capaz: da vida ou da morte, do sorriso ou do ódio, do punho fechado ou dos braços abertos, do amor ou do rancor. Tudo é uma questão de escolha, pois elegância é isso: escolher o melhor. Isso faz linda uma mulher.

A mulher elegante revela-se explicitamente em suas mais variadas escolhas, das mais simples às mais nobres, das mais discretas às mais comprometedoras, pois elegância também se vive no anonimato, no segredo, sem testemunhas ou plateia. A cada escolha feita por uma mulher sensata revela-se o motivo de amor de sua vida, o que realmente importa ao seu caminho, o que é relevante na construção da sua história e Quem ela ama acima de tudo e de todos.

Uma mulher de fé deve saber fazer boas escolhas. Por basear-se em seu relacionamento íntimo e responsável com Deus, ela “paga” um preço caro e silencioso por tudo o que ama de verdade. Pois escolher bem significa renunciar muita coisa para escolher sua “pérola”, o “fio de ouro” que conduz sua vida na direção certa. Por isso é tão importante que todas as mulheres se perguntem: “Quem amo de verdade? O que amo de verdade?”. A partir dessas respostas é que todas as escolhas ganham caminho reto e seguro, se ele for construído com fidelidade e palavra, pois elegância é uma expressão bela da fidelidade a si mesmo e a Deus. Sem ela não há elegância e sem elegância não há fidelidade. Uma não vive sem a outra. Toda mulher infiel, por mais bem vestida que esteja, não revela o perfume da elegância. Sua força é gasta em esconder-se e seu olhar deixa de brilhar na liberdade que Deus a fez.

Você é convidada a ser uma mulher de grandes escolhas. Escolhas tão nobres que poderão lhe custar o preço mais alto que uma mulher é capaz de pagar: o sofrimento secreto e sem reconhecimento. Toda mulher é capaz de portar em si um silêncio poderoso e fiel, viver uma redenção maravilhosa diante de si mesma, dos homens e de Deus. Uma mulher que sabe silenciar-se diante de suas escolhas mais exigentes, e por isso nobres à sua vida e sua alma, é uma mulher digna de respeito e gratidão. Essa é uma mulher digna de ser escolhida, amada, cortejada, esperada, respeitada e admirada, pois ela inspira generosidade.

Não tenha medo de tomar uma postura! Ninguém pode fazê-la sofrer a menos que você permita, e se existe a permissão, que seja com consciência de que um sofrimento com sentido torna-se um sacrifício oferecido, um perfume agradável a Deus e aos homens. O tamanho de seu sacrifício é o mesmo da árvore imensa de graças que você está plantando, cujos frutos virão com o tempo; por enquanto, são só sementes.

Somos chamadas a ser mulheres elegantes, de escolhas nobres e eternas. Não tenhamos medo de escolher bem, mesmo que seja para perder agora e ganhar depois. Isso sim é elegância. Isso sim é ser uma mulher de palavra.

Por Ziza Fernandes.
Ziza é cantora, compositora, musicoterapeuta, professora e mosaicista. Estudou piano por 12 anos no Conservatório Santa Cecília, Maringá – PR, aperfeiçoando-se com o professor Paulo Giovanini, na Universidade Estadual de Maringá.

Assista o vídeo dessa Websérie.

Leia também:

Como se vestir bem?

O que os homens pensam sobre Modéstia.

 

 

One Response

  1. Ziza sempre conduzindo nos ao céu….elegância da mulher nos gestos e nas atitudes isso sim é ser mulher de Deus!

Deixe um comentário